sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Quando o stress toma conta de nós



Suruma acabou, ouvi uma, duas vezes
Não te permito a terceira
Suruma não acaba assim
Suruma deixa a pessoa sumaumada
Sumauma real não anda a moda tartaruga
Sumauma é fogo
Sumauma é tesão
Sumauma avassala, arrasa, parece tsunami
Sumauma que acaba nunca existiu
Sumauma que dura pouco era como palito aceso
Sumauma que eu sinto não tem extintor capaz de apagar
Sumauma que eu tenho eterniza-te
Sumauma que eu quero você não conhece
você não sabe
você ignora
Sumauma que acaba não é essa que quero
não é essa que preciso
não é essa que te dou
Sumauma que vejo é invisível
só se sente
só se sorve
só se fareja
Sumauma que acaba
entristece
dói
magoa
choca
traumatiza
antes esquarteja-me
antes espanca-me
antes insulta-me
depois recola-me
depois remenda-me
depois diz-me
AMOTE.
Surumada de ti sinto-me
Surumadas estão minhas entranhas
Surumadas estão aquelas maçanicas que, na terra que te viu lá passear, comeste
Surumadas minhas mãos estão neste momento
trémulas
suadas
fogosas
tudo quebram
tudo pedem
a ti tocam e acalmam teu ser confuso
vamos dormir!

Ivone Soares

6 comentários:

Nelson disse...

Olá Iva.
De volta não é?
E com suruma, e com sumauma e com tudo.
Seu silêncio deu pa notar.
Inspirado nos teu "rabiscos" tive a dias um parto confira: http://nelsonlevenaspalavras.blogspot.com

Custódio Duma disse...

hummmm....a suruma.....
o caminho certo para o encontro com teu ser interior.
sei o que digo!

Vertigem disse...

Suruma... Encanto de vida e morte... Ajuda a remendar sonhos...pessoalmente prefiro a vida em sangue frio.
Bj

Scorpio disse...

Cabou nada, era brincadeira com a sumauma...fogosa.

L.S. Alves disse...

Sumauma? Surumada? Maçanicas?
Alguém vende pra mim um dicionário moçambicano por favor.

Ivone Soares disse...

É tão bom voltar a cidade capital e encontrar tantos comentários doces. Obrigada de coração.
Ivone