quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Facaste-me alma

Kido, p'ra dizer que me deste uma facada
Inventei-te o termo "facaste-me".
Como uma facada n'alma pareceu aquela sms
Dias há em que m'elevas a patamares distantes
Noutros,
stressadamente, m'escreves
como que possuído por espíritos de terras estranhas
estranhamente escreves
coisas doidas...loucas
de fazer suar.
Transpiro frio
de tão aquecida pelas incompreensões
calafrios sobem-me espinha acima

Dias há em que me buscas
No baixo-ventral espaço
aquele que causa brívidos
e nem te repousas
aqueces-te os sentidos
inventas fantasmas
nhamussoro pareces
daqueles que das mais malucas adivinhas diz
e transpiro frio.

Zango-me, grito-te, OKeizo-te
mas no fundo amo a tua alma
Vamos namorar?

Ivone Soares

5 comentários:

Dede Moquivalaka disse...

Hummm...volto mais logo!

X!mb!t@nE disse...

Ops, amoram-se tanto!

IS disse...

Andei distraída que nem respondi aos comentários. Este espaço é de encontros...aqui amora-se mesmo...bjh

TRINDADE disse...

MUITO LINDO.

Ivone Soares disse...

Muito obrigada Trindade.