sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Quem sabe?

A medida do quanto me amas
quem sabe?
Numa escala de 0 a 10
tento adivinhar...
equaciono as juras
as promessas
as palavras ternas
mesmo assim
exercitando o músculo cerebral
respostas definitivas
essas não tenho.
Quem sabe?
Receio ser injusta
duvidando.
Receio incapacidade ter
pra ler os sinais
receio...
Por demasiadamente querer-te
em demasia anseio saber
afinal: quanto me amas?
Pensei, hoje, no taxi
quem sabe o quanto foi amado?
Dia e noite respiro-te
Nas tardes-madrugadas que não se repetem
nos dias-noite que eclipses parecem
alimento a vista lembrando-nos.
Quando sangram meus olhos
pranteando de saudades
saudades do que não perdi
tenho.
Sabes do que falo?
Demasiado sim, em demasia amo.
Confesso: gosto mais de mim
quando contigo.
Sabes do que falo!

Ivone Soares


9 comentários:

Anônimo disse...

Vc num sabe sou eu o vento que chega e parte sem largar sua âncora, aquela de vc? Vc num sabe do que falo?
(Scorpio)

Ana Tapadas disse...

Que lindo poema de amor.
ainda bem que actualizaste.
Um abraço

micas disse...

Basta sentir Ivone, basta sentir!

Amor não se mede, não se equaciona.

Vive-se, sente-se, sonha-se

X!mb!t@nE disse...

Quer medir?
Vem que dou fita-metrica
Quer pesar?
Pede balança a mamana do dumba!
Ainda com duvidas?
Nao ha medida pra amar
Ama-se, ama-se até se perder
Mergulha de cabeça
E perde-te nessa maravilha
Que é o amor!

kimmanel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ivone Soares disse...

Ah se sei!!!Como não saber?

Ivone Soares disse...

Olá Ana! Obrigada por teres gostado. Bj

Ivone Soares disse...

É verdade Micas...mas deu-me para escrever isso. Aliás, gostava de saber mesmo.

Ivone Soares disse...

Xim, quero saber quanto sim...acho que nunca saberemos o quanto fomos amadas...