quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Intensamente tacteio-te

Oh! Em mim não acreditarás
Lembraste que OKeizeite?
Reparaste que ignorei-te
Sentiste-me fria?
Viste que sms não respondi?
Nem bondianizeite...pois
tentava fingir de ti não gostar
fazer parecer em ti não pensar.
Indiferente?
até os loucos pensamentos
todos voltados pra ti!
Doidada pareço
tamanha vontade de não te sentir
mas escorres em mim.
Presente ou ausente
muitas ausente...
mas escorres!
Sangue das veias sai
alguns sentidos invertem posições
meus poros olhos ficam
tacteio-te:
minha pele lacrimeja
chuva de lágrimas doces de tesão
umbigo perfurado de tantas noitadas em ti
venho-me neste quente lugar
onde tacteio-te
fogosamente.
Uiii...melhor parar...
me dizes!


Ivone Soares

4 comentários:

Ana Tapadas disse...

Olá Ivone!
Lindo poema e quente como a tua África!
Olha, não queres ser colaboradora do meu blogue profissional (NO LUGAR DO OURO), divulgando escritores/poetas moçambicanos?
eU GOSTAVA MUITO QUE ACEITASSES...
Beijinho

Ivone Soares disse...

Olá Ana! Amei ter teu comentário aqui. Entraste bem no novo ano? Espero que 2009 seja 1 ano magnífico pra ti.
Podemos falar em, privado sobre o teu convite. Use o mivonesoares@portugalmail.com

Bjhs quentes como a minha África...

poesia disse...

Palavras mornas , pensamentos equidistantes
Lágrimas doces e húmidas,
Umbigos acariciados em ausências
produzidas no segredo dos deuses
Bjs

Ivone Soares disse...

vejo que está inspirado...